8 tipos de vacina que você não deve deixar de tomar

Embora o tema do momento seja a vacina contra a Covid-19, existem 8 outros tipos de vacina que todo adulto deve tomar para se proteger. Veja quais são elas

Sua carteirinha de vacinação está atualizada? Embora o assunto do momento seja a vacina contra a Covid-19, existem 8 outros tipos de vacina que todo adulto deve tomar para se proteger de infecções por vírus e bactérias bastante perigosos para a saúde. Além disso, estar em dia com a vacinação significa não se tornar um transmissor de doenças e proteger também os outros, em especial para as crianças e idosos, que são grupos mais vulneráveis. 

De antemão, vale ficar atento ao calendário nacional de vacinação e a 8 vacinas essenciais na vida adulta. Uma delas é a da gripe, cuja campanha de vacinação em 2021 acontece até o dia 9 de julho. Vale lembrar que a orientação do Ministério da Saúde é que quem tomou a vacina contra a Covid-19 há pelo menos 14 dias pode tomar a da gripe. 

Quem ainda não tomou, mas já está nos grupos prioritários para a imunização, deve dar preferência para a vacina contra a Covid-19. Nestes casos, a regra é a mesma ali de cima: você pode tomar a vacina contra a gripe depois de 14 dias da imunização contra o coronavírus.

Leia também:
Como diferenciar doenças respiratórias de outono-inverno da Covid-19

Outra orientação importante: se você perdeu sua caderneta de vacinação e não sabe quais vacinas já tomou, o melhor a fazer é considerar não ter sido vacinado. De acordo com as autoridades de saúde, a repetição de doses não traz problemas. Também dá para saber se você está ou não imunizado contra uma determinada doença com um exame de sangue. 

Dia Nacional da Imunização

Procure ajuda médica caso tenha dúvidas, mas não deixe de se vacinar! Anualmente, no dia 9 de junho, o Brasil comemora o Dia Nacional da Imunização. A data foi criada para alertar a população sobre a importância da vacina para a prevenção de diversas doenças. 

Com exceção da água potável, nenhuma outra ferramenta teve tanto resultado na redução da mortalidade no mundo, nem mesmo os antibióticos.

Confira 8 vacinas que os adultos devem ter em dia:

1 – Vacina contra a influenza

Para que serve: gripe

Quando deve ser tomada: a campanha de vacinação contra a gripe acontece uma vez por ano, geralmente pouco antes do inverno, considerado uma temporada de surto da doença.  

Em 2021, o Ministério da Saúde dividiu em 3 as fases da vacinação contra a gripe:

  • Primeira fase: idosos a partir de 60 anos e profissionais da saúde
  • Segunda fase: portadores de doenças crônicas, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, pessoas com doenças crônicas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população carcerária e povos indígenas
  • Terceira fase: crianças de 6 meses a 6 anos, grávidas, mães no pós-parto, pessoas com deficiência, professores e pessoas de 55 a 59 anos de idade

A Influenza, nome científico da gripe, é uma infecção aguda do sistema respiratório ocasionada pelo vírus influenza. Ela se espalha facilmente, transmitida principalmente por via respiratória. Seu ciclo costuma ser de uma semana. 

Os principais sintomas são febre, dor muscular e tosse seca. 

Três tipos de vírus influenza circulam no Brasil. O tipo C causa apenas infecções respiratórias brandas. No entanto, os tipos A e B causam epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas epidemias de H1N1, também conhecida como gripe suína, e A2N2, popularmente chamada de gripe asiática.  

Leia também:
Médica Jeovania Gonçalves fala sobre as diferenças entre gripe e resfriado, principais causas da doença e a importância da vacinação

2 – Vacina dupla tipo adulto 

Para que serve: difteria e tétano

Quando deve ser tomada: a primeira parte da vacinação contra difteria e tétano é feita em três doses, com intervalo de dois meses. Geralmente, tomamos essas três doses na infância. Depois delas, o reforço deve ser feito a cada dez anos para que a imunização continue fazendo efeito. 

Baixe grátis a nossa cartilha Nutrientes e veja os benefícios de cada alimento

A difteria é causada por uma bactéria, que é contraída pelo contato com secreções de pessoas infectadas. Ela afeta o sistema respiratório e dá febre e dor de cabeça. Em casos graves, pode evoluir para uma inflamação no coração.

A toxina da bactéria causadora do tétano compromete os músculos e leva a espasmos involuntários. A musculatura respiratória é uma das mais comprometidas. Se a doença não for tratada a tempo, pode comprometer a respiração e levar à morte. Machucar o pé com prego enferrujado no chão é uma das formas mais conhecidas de contágio do tétano.

3 – Vacina tríplice-viral

Para que serve: sarampo, caxumba e rubéola

Quando deve ser tomada: o adulto deve tomar a tríplice-viral se ainda não tiver recebido as duas doses recomendadas para a imunização completa quando era criança ou se tiver nascido depois de 1960. O Ministério da Saúde considera que as pessoas nascidas antes de 1960 já tiveram as doenças ou já foram vacinadas anteriormente, estando, portanto, imunizadas.

O sarampo é causado por um vírus. Sua principal marca são as manchas vermelhas no corpo. A transmissão ocorre por via respiratória. De acordo com dados do Ministério da Saúde, a mortalidade entre crianças saudáveis é mínima, ficando abaixo de 0,2% dos casos.

Nos adultos, essa doença é pouco observada. Mas, como a forma de contágio é simples, os adultos devem ser imunizados para proteger as crianças com quem convivem.

A caxumba, conhecida por deixar o pescoço inchado, também é mais comum em crianças, mas, apresenta casos graves em adultos, podendo causar meningite, encefalite, surdez, inflamação nos testículos ou dos ovários e mais raramente no pâncreas. Da mesma forma que o sarampo, a caxumba tem transmissão por via respiratória. 

Já a rubéola aumenta gânglios do pescoço e deixa manchas avermelhadas na pele. Ela é bem perigosa para gestantes. O vírus pode levar à síndrome da rubéola congênita, que prejudica a formação do bebê nos 3 primeiros meses de gravidez. 

Entre as principais consequências estão  surdez, má-formação cardíaca, catarata e atraso no desenvolvimento.

Leia também:
Pré-natal e os cuidados durante a gravidez

Vale lembrar que mulheres que pretendem ter filhos, que não foram imunizadas ou que nunca tiveram rubéola devem tomar a vacina um mês antes de engravidar. A rubéola é bastante perigosa quando afeta gestantes, pois pode causar deformidade no feto.

4 – Vacina contra a hepatite B

Para que serve: hepatites B e D

Quando deve ser tomada: a vacina contra a hepatite B geralmente é dada nos recém-nascidos nas primeiras 12 horas de vida (1º dose), com 1 mês de idade (2º dose) e com 6 meses (3º dose). Quem não foi imunizado quando criança deve tomar as três doses na vida adulta, principalmente se fizer parte dos grupos de risco. São eles:

  • Profissionais da saúde
  • Pacientes que recebem frequentemente hemoderivados
  • Trabalhadores ou residentes em instituições
  • Pessoas em maior risco devido a seu comportamento sexual
  • Usuários de drogas injetáveis
  • Residentes ou viajantes para áreas endêmicas do vírus da hepatite B
  • Pessoas com anemia falciforme
  • Pacientes candidatos a transplante de órgãos
  • Pessoas em contacto com pacientes com infecção aguda ou crônica pelo VHB
  • Pessoas com doença hepática crônica

A hepatite B é transmitida pelo sangue e em geral não apresenta sintomas. Alguns pacientes se curam naturalmente, sem nem mesmo saber que têm o problema. Em outros casos, a doença pode se tornar crônica, levando a lesões do fígado que podem evoluir para a cirrose. A vacina contra a hepatite B também oferece proteção contra o tipo D do vírus.

Falamos mais sobre os diferentes tipos de hepatite num artigo aqui

5 – Pneumo 23

Para que serve: pneumonia e alguns tipos de meningite 

Quando deve ser tomada: a vacina pneumocócica 23-valente pode ser administrada em crianças a partir dos 2 anos de idade e em adultos. Ela é indicada para pacientes com condições específicas, como infecção pelo HIV, doença pulmonar ou cardiovascular crônica grave, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica, diabetes, câncer, cirrose hepática e pacientes com imunodeficiências, entre outros. 

A pneumonia é uma inflamação nos pulmões causada por bactérias, vírus, fungos e reações alérgicas. Existem diversos tipos de pneumonia. Os mais comuns são a pneumonia bacteriana e a pneumonia viral. 

O tipo bacteriano é desencadeado em boa parte pela bactéria Streptococcus pneumoniae. Enquanto isso, no tipo viral, a causa é um vírus que afeta o sistema respiratório, como o vírus da gripe e da Covid-19.

Entre os principais sintomas estão febre alta, suor intenso, calafrios, falta de ar, dor no peito e tosse com catarro. 

De acordo com a fundação Every Breath Counts, que atua no combate à pneumonia em escala mundial, trata-se da principal razão de morte por doenças infecciosas no mundo. Em 2019, para termos uma ideia, foram 2,5 milhões de vítimas. Conforme o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), uma criança morre a cada 39 segundos com a doença, 

6 – Vacina contra a febre amarela

Para que serve: febre amarela

Quando deve ser tomada: todas as pessoas que moram em locais de risco devem tomar a vacina a cada 10 anos, durante toda a vida. Quem for para uma dessas regiões precisa ser vacinado pelo menos 10 dias antes da viagem. No Brasil, são áreas de risco as zonas rurais no Norte e Centro-Oeste, bem como alguns municípios do Maranhão, do Piauí, da Bahia, de Minas Gerais, de São Paulo, do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

A febre amarela é transmitida pelo mesmo mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti. Os sintomas iniciais da febre amarela são:

  • Início súbito de febre
  • Calafrios
  • Dor de cabeça intensa
  • Dores nas costas
  • Dores no corpo em geral
  • Náuseas e vômitos
  • Fadiga e fraqueza

A maioria dos infectados melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% ficam um breve período sem sintomas e, então, apresentam uma forma mais grave da doença. Neste caso, os sinais são febre alta, pele e olhos amarelados, hemorragia gastrointestinal e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.

7 – HPV

Para que serve: papilomavírus humano,  o HPV

Quando deve ser tomada: meninas de 9 a 14 anos e meninos dos 11 a 14 anos.

Existem mais de 150 tipos de HPV, dos quais 40 podem infectar a região genital e provocar cânceres. Os principais tipos são combatidos com duas doses da vacina. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registra 137 mil novos casos de HPV por ano. O vírus, transmitido durante a relação sexual, é responsável por 90% dos casos de câncer de colo do útero, além de provocar tumores de vulva, pênis, boca, ânus e pele. 

8 – Vacina para herpes zóster

Para que serve: herpes zoster

Quando deve ser tomada: a partir de 50 anos de idade

Herpes zoster é uma infecção viral que provoca bolhas na pele e dor intensa. Causada pelo vírus varicela-zoster, o mesmo agente da catapora, a doença acomete quem teve catapora em algum momento da vida e ficou com o vírus adormecido dentro do corpo. Sua ocorrência é mais comum em pessoas a partir dos 50 anos.

A vacina é administrada em uma única dose. Se você tem mais de 50 anos e já foi exposto ao vírus da catapora, converse com um clínico geral para entender a necessidade de se vacinar contra o herpes zóster.