Ei, sua voz também precisa de cuidados, sabia?

Veja como cuidar da voz e evitar problemas como rouquidão, cansaço ao falar, dor de garganta, tosse, nódulos nas pregas vocais e até câncer na laringe

Ela faz parte de nós de forma tão íntima e pessoal que às vezes até esquecemos que ela precisa de atenção. Mas, para que a voz não nos falte, sim, ela demanda alguns cuidados. Tanto que existe um Dia Mundial da Voz, comemorado em 16 de abril, com o objetivo de mostrar como cuidar da voz e alertar para a importância de manter uma rotina saudável. 

Rouquidão, cansaço ao falar, dor ou ardência de garganta, tosse que não acaba mais ou voz que treme em momentos de tensão são problemas muito comuns. Câncer de laringe, laringite, nódulos nas pregas vocais e outras doenças também podem afetar a saúde da voz. Tanto os primeiros quanto os últimos têm cura, desde que tratados da forma correta. 

Vamos explicar melhor como funciona esta história.

A voz humana é produzida na laringe, um tubo que fica no pescoço. Dentro desse tubo, temos duas dobras de músculos e mucosa, as chamadas pregas vocais, popularmente conhecidas como cordas vocais. São as pregas vocais que produzem a voz, quando o ar que sai dos pulmões passa pela laringe. 

Leia também:
5 alimentos para ter dentes fortes e saudáveis

Em seguida, o ar faz as pregas vocais se movimentarem, se aproximando umas das outras, formando um som. Além do movimento das pregas vocais, estruturas como língua, boca e lábios também se movimentam. Os sons que esses movimentos formam são amplificados e modulados até chegar à boca. 

No entanto, a modulação depende de vias aéreas funcionando. Por isso, quem usa a voz (ou seja: quase todos nós!) precisa tratar problemas como roncos, rinites, sinusites, amídalas inflamadas, desvios de septo e outros problemas respiratórios.

Não existe uma voz igual a outra

O cérebro comanda toda a operação desde as pregas vocais até que a nossa voz seja ouvida. Ele envia impulsos de acordo com o que queremos falar e de que forma (fraco ou forte, fino ou grosso). Ao mesmo tempo, nossa voz é o resultado de características herdadas e do ambiente em que vivemos. 

Cada voz é única. Como a impressão digital, ela não se repete em ninguém. Conforme nossas emoções no momento da fala e as pessoas com quem falamos, nossa voz também pode sair diferente. 

Leia também:
O que é medicina integrativa e como ela pode ajudar a sua saúde

Aliás, as emoções interferem muito na voz. Já reparou, por exemplo, como falamos mais rápido e mais quando estamos ansiosos? Ou como gaguejamos um pouco quando estamos nervosos? Você ou alguém do seu círculo próximo usa um tom de voz mais agudo e mais forte quando está feliz?  

Da mesma forma, falamos mais devagar e com um timbre grave quando estamos tristes. Igualmente, há casos de pessoas que perdem a voz após um trauma.

Mas como saber se tenho um problema de voz? 

Em alguns casos, as alterações são passageiras e naturais por causa da situação que a pessoa está vivendo. A voz pode tremer em situações de fortes emoções, timidez ou medo.

Por outro lado, se você perceber que sua voz está instável mesmo quando não está nervoso, procure um especialista. Alguns problemas neurológicos podem começar com voz trêmula e cuidar da voz diariamente vai ajudar você nesses momentos também. Se sua voz melhora quando você fica alguns dias sem falar muito e piora em situações em que usa mais a sua voz, também é importante procurar ajuda médica. 

Da mesma forma, se sua voz ficou diferente nos últimos tempos (rouca, fraca, tensa ou cansada) por mais de 15 dias, também vale acender o alerta. Um dos primeiros sintomas do câncer de laringe, por exemplo, é uma rouquidão que dura mais de 15 dias. 

Leia também:
Exames e sinais que ajudam a descobrir o câncer

Fique atento ainda a sinais como ferida na garganta que não cicatriza, tosse persistente, dor e dificuldade para engolir, dificuldade para respirar e nódulo ou massa no pescoço.

Dúvidas frequentes

Para ajudar a sanar as dúvidas mais comuns sobre problemas e cuidados com a voz, buscamos ajuda da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. Confira as respostas para algumas perguntas frequentes com relação aos problemas na fala e veja também as dicas para cuidar bem da voz:

O que fazer quando estou totalmente sem voz?

Se precisar falar, não force, fale baixo e mais devagar, abrindo bem a boca, porém, evite sussurrar. Para cuidar da voz, mantenha-se hidratado bebendo goles de água ao longo do dia e procure um médico otorrinolaringologista e/ou um fonoaudiólogo. 

Não gosto da minha voz. Ela pode ser modificada? 

Qualquer voz pode ser aperfeiçoada, mas é importante compreender porque você não gosta de sua voz, o que exige uma avaliação especializada. 

Por que a voz gravada parece diferente da minha voz falada?

Quando escutamos nossa voz no dia a dia, recebemos informações por via aérea (som da voz pelo ar) e por via óssea (pela vibração dos ossos do corpo), e o som fica mais grave que o som do gravador, que é mais próximo de como os outros nos ouvem.

É normal uma criança ser rouca? 

Não. Rouquidão é sinal de um problema na voz. Se a criança fica rouca com frequência por falar forte, gritar ou se ela sempre foi rouca, é necessário compreender o que está acontecendo. Uma rouquidão pode dificultar a comunicação e prejudicar o desenvolvimento social. Procure a orientação de um fonoaudiólogo ou otorrinolaringologista.

Quando a voz muda na adolescência? 

A voz muda entre 13 e 15 anos, podendo oscilar num período de seis meses, até ficar mais grossa (grave), em direção ao padrão adulto de falar. As mudanças são mais nítidas nos meninos e coincidem com o aparecimento da barba.

Ar-condicionado pode prejudicar a voz? 

Algumas pessoas podem ser sensíveis à exposição prolongada ao ar-condicionado, apresentando ressecamento e alteração na voz. Isso atrapalha a rotina de cuidar da voz. Se você trabalha em ambientes com ar-condicionado, tome pequenos goles de água ao longo do dia, para combater a secura.

Reclamam que eu falo alto demais. Posso mudar isso? 

Sim, com a ajuda de um fonoaudiólogo você pode melhorar o controle do volume de sua voz. Perceba se fala muito alto mesmo em situações tranquilas, nas quais poderia falar mais baixo. Caso sinta para ouvir as outras pessoas e prefira um volume alto de TV e rádio, você pode ter um problema de audição.

Preciso pigarrear para “limpar” a minha voz. Isso é normal? 

O pigarro ocasional não faz mal, mas se acontece sempre pode ser sinal de algum problema de voz, alergia, rinite ou sinusite. Pigarrear corresponde a uma batida forte entre as “cordas vocais” e pode irritar ainda mais a laringe. Se você tem um pigarro insistente, procure um médico otorrinolaringologista para investigar a sua causa. 

Como a bebida e o cigarro afetam a minha voz?

O cigarro irrita os tecidos da laringe e aumenta as chances do aparecimento de um problema de voz, incluindo câncer de laringe e do pulmão. O fumante passivo também sofre as consequências negativas do cigarro. Tal qual o cigarro, o álcool também irrita os tecidos da laringe. O consumo de álcool em excesso diminui o controle da voz, irrita os tecidos da laringe e aumenta a chance de um abuso vocal. 

Quais os cuidados mais importantes para se ter uma voz bonita? 

O ideal para se ter uma voz bonita é evitar abusos vocais, como, por exemplo, gritar ou falar muito alto por um longo período. Além disso, perceba se você fala com mais esforço que o necessário. Caso use a voz profissionalmente, faça uma avaliação vocal com um fonoaudiólogo e siga as orientações para diminuir o desgaste vocal.

Como cuidar da voz no dia a dia:

  • Fale sem esforço e articule bem as palavras
  • Mantenha uma boa postura corporal ao falar ou cantar
  • Beba 2 litros de água diariamente
  • Durma bem
  • Tenha uma alimentação saudável rica em frutas e proteínas
  • Use roupas confortáveis
  • Procure reduzir a quantidade de fala se estiver com gripe, alergia ou, no caso das mulheres, no período pré-menstrual
  • Evite falar por longos períodos, principalmente em ambientes barulhentos
  • Cuidado ao pigarrear, gritar e dar gargalhadas exageradas
  • Evite ingerir leite e derivados, bebidas gasosas, chocolate antes de utilizar a voz continuamente
  • Fique longe do excesso de álcool, bem como outras drogas
  • Cuidado ao cantar inadequadamente ou abusivamente
  • Esteja atento aos primeiros sintomas de alteração vocal como cansaço, ardor ou dor ao falar, falhas na voz, mudança de tom, pigarro e rouquidão

No caso de problemas vocais, procure um fonoaudiólogo ou um otorrinolaringologista. O Cartão MedSempre conta com ótimos descontos para consultas com médicos de qualidade em diversas cidades brasileiras. Temos também uma ampla rede de laboratórios credenciados para diagnósticos, exames diversos e acompanhamento de adultos e crianças. Nosso cartão não tem carência e tem preços realmente acessíveis. 

Fale com a gente para saber mais.